AULA GRATUITA

AUDIODESCRIÇÃO:

DIÁLOGO SOBRE ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL

Esta palestra foi organizada tendo como base as perguntas encaminhadas por alunos dos cursos de audiodescrição e por alguns participantes externos, ou seja, pessoas interessadas no assunto. Inicialmente realizamos essa palestra ao vivo por meio de uma webconferência para os alunos, ex alunos e alguns convidados externos. Tendo em vista a grande procura sobre os assuntos abordados nesta palestra, editamos o vídeo e estamos compartilhando novamente de forma aberta com todos aqueles que desejarem assistir.


Assista nesta palestra as respostas para as seguintes perguntas:

Eu tenho amigos cegos e sempre que nos encontramos descrevemos o ambiente entre outras situações. Gostaria de saber mais sobre a técnica de audiodescrição?

Envolvimento da família na AD Possibilidades e Potencialidades.

Qual a importância do ensino da audiodescrição para crianças que não possuem deficiência visual?

Como o audiodescritor pode atuar em sala de aula com objetos educacionais audiodescritos e contribuir na inclusão dos alunos cegos?

Existe uma obrigatoriedade do audiodescritor trabalhar em universidades junto a pessoas com deficiência visual? Existe alguma lei que garanta isso?

Como a AD pode ser usada no processo de adaptação curricular?

Gostaria de entender quais desafios e como realizar a descrição para livros didáticos?
Já ouvi falar que somente pessoas cegas podem ser consultores, não entendi o motivo?

Na AD para eventos culturais, como o consultor pode ajudar nesse seguimento?

Quais são os maiores problemas que ocorrem em ADs de eventos ao vivo?

Audiodescrição na TV ajuda pessoas com deficiência visual em quais aspectos?

Como funciona o recurso de audiodescrição nos aparelhos de TV?

Como é produzida a audiodescrição para a televisão ?

Como descrever uma entrevista quando as pessoas envolvidas falam sucessivamente, não deixando espaço suficiente para inserir a AD?

Quais são as orientações básicas para produzir AD em peças de Teatro?

Como montar um roteiro de AD, intercalando diálogos de um filme ou teatro com a inserção da AD?

Tenho dúvidas sobre a AD em teatro infantil, as diferentes idades, a mediação antes/após peça, o espaço para inserções em peças com muito barulho e brincadeiras?

Por onde começar a trabalhar com audiodescrição?

Qual critério é usado para que algo entre na audiodescrição, especialmente em conteúdos mais complexos, com diversas interpretações possíveis.

Já vi vídeos em que na AD aparecem as frases: "Na cena, o rapaz...", "Em detalhe....", "Close da...". Elas não podem ser inseridas na AD??

Quais são os principais erros cometido no desenvolvimento daAD?

O que fazer se tomo contato com uma AD “cheia de erros”?

Como entrar no mercado de trabalho atuando com a audiodescrição?

Como estão as oportunidades do mercado de trabalho nessa área?

Como estão as oportunidades do mercado de trabalho nessa área?

Quais são as perspectivas daqui para frente da audiodescrição no Brasil?

Como precificar o desenvolvimento deste trabalho, para quem está começando na área?

Gostaria de entender melhor como organizar orçamentos e estabelecer os custos do serviço de AD em diferentes modalidades.

​​​​

  Dúvidas?

Clique aqui para conversar com a equipe!

Whatsapp: (11) 97730-3979
ou e-mail: suporte@oportunidadesdigitais.com.br

Sobre Ana Julia Perrotti-Garcia

Possui longa experiência em formação de audiodescritores e tradutores, em cursos de graduação, pós-graduação e extensão.
Atua como Audiodescritora, Tradutora e Intérprete.
Doutora em Língua e Literatura Inglesa (FFLCH USP SP).
Mestre em Linguística Aplicada (PUCSP).
Realiza palestras no Brasil e em outros países, tais como Austrália, Irlanda do Norte, EUA, Inglaterra, Portugal, entre outros.
Membro da American Translators Association (ATA, Estados Unidos).
Membro da International Medical Interpreters Association (IMIA).
Pesquisadora no GREAT (Grupo de Estudos de Tradução e Adaptação, FFLCH USP SP).
Pesquisadora no GEL (Grupo de Estudos Linguísticos).

PARCERIA